PIB mineiro em queda: os efeitos econômicos da tragédia da Vale em MG

O PIB estadual recuou 0,7% no segundo trimestre de 2019, na comparação com o trimestre anterior, segundo medição da Fundação João Pinheiro

Rompimento de barragem em Brumadinho deixou mais de 250 mortos (Foto: Diego Baravelli/Wikipédia)

João Carlos Firpe Penna
joaocarlos@interessedeminas.com.br

Além de deixar um dramático rastro de mais de 250 mortes, aos poucos, a tragédia de Brumadinho vai demonstrando o desastre que representa também para a economia mineira. O reflexo agora se dá no indicador mais relevante da economia – o PIB estadual, que recuou 0,7% no segundo trimestre de 2019, na comparação com o trimestre anterior, segundo medição da Fundação João Pinheiro (FJP). O resultado vai na contramão da média nacional, onde a alta foi de 0,4% na mesma base de comparação.

Os dados indicam que o crescimento da economia mineira no primeiro semestre do ano praticamente nulo, o que indica o tamanho do estrago. Como já se previa, a economia brasileira, mesmo andando de lado, terá um desempenho melhor no ano – algo próximo de 1% ou menos um pouco.

Os dados da FJP transformam em estatística o que já se sabia empiricamente. A tragédia da Vale – a segunda em cinco anos em Minas Gerais –, já está deixando profundas cicatrizes na economia mineira.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Article Categories:
Papo retoÚltimas

All Comments