Saída para a crise: produção diversificada fortalece agronegócio em MG

Dos 63 produtos levantados pela Pesquisa Agrícola Municipal (PAM) 2018, o estado produz 50 deles

(Foto: freepik.com)

Patrícia Adriely
patricia@interessedeminas.com.br

Responsável por 33% do PIB de Minas Gerais, o agronegócio tem papel importante na economia mineira. Apesar da crise econômica que atinge o estado e o país, setor tem se mantido forte, e um dos motivos é a produção agrícola diversificada.

Dados divulgados recentemente pelo IBGE apontam que Minas Gerais tem a maior diversidade de produtos agrícolas do país. Dos 63 produtos levantados pela Pesquisa Agrícola Municipal (PAM) 2018, o estado produz 50 deles.

Nessa gama de itens, seis são produzidos em larga escala e respondem por 87% do valor bruto da produção agrícola do estado: café, soja, batata-inglesa, feijão, cana de açúcar e milho.

No valor total da produção na agricultura (não inclui pecuária, silvicultura e extração vegetal), Minas Gerais fica em quinto lugar nacional, totalizando R$ 35,1 bilhões, atrás dos estados de São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul.

Entretanto, de acordo com a coordenadora da Assessoria Técnica da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Aline de Freitas Veloso, duas cadeias produtivas estão enfrentando dificuldades em 2019. Uma delas é o café. “Estamos no final da colheita e não esperávamos preços tão baixos, então o produtor rural tem enfrentado algumas dificuldades. Estamos buscando medidas emergenciais que atentam esses produtores, como por exemplo, a prorrogação dos seus contratos de crédito rural”.

Outro setor afetado pela crise é o leiteiro. “A gente está vivendo um momento em que a economia não está tão boa, o número de desempregados está grande, muitas pessoas deixam de consumir os derivados do leite”, afirma ela.

Por outro lado, ela ressalta a importância da alta diversificação agrícola para manter o setor agropecuário mineiro forte. “A diversidade nos possibilita essa participação importante do agronegócio na economia do estado, para o desenvolvimento das regiões e para a geração de emprego e renda”. Segundo Veloso, o reflexo disso pode ter visto nas exportações mineiras. De janeiro a julho deste ano, o estado teve relações comerciais com 156 países.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Article Categories:
EconomiaÚltimas