Jornalismo mineiro perde Dídimo Paiva, referência de ética e coragem

O jornalismo mineiro perdeu, na madrugada deste sábado (9/03), um daqueles profissionais bissextos: Dídimo Paiva

(Foto: Samuel Gê/Site do SJPMG)
João Carlos Firpe Penna
joaocarlos@interessedeminas.com.br

O jornalismo mineiro perdeu, na madrugada deste sábado (9/03), um daqueles profissionais bissextos que pode, como poucos, ser considerado referência ética para diversas gerações da categoria: Dídimo Paiva. Mesmo nos anos mais difíceis, ele sempre manteve uma postura de vanguarda, coragem e muita luta por onde passou durante a carreira.

Ele pôde mostrar muito bem esses atributos, com muita determinação, num dos momentos mais duros da história do país, quando atuou como presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG) durante os chamados anos de chumbo da ditadura militar, entre 1975 e 1978.

Foram anos de forte enfrentamento entre a imprensa e o regime ditatorial, marcado por censura aos meios de comunicação e muita perseguição política. Dídimo Paiva enfrentou tudo isso de maneira destemida e determinada. Muito atuante não apenas na profissão, ele é considerado, também, como uma das referências no surgimento do chamado Novo Sindicalismo, que mudou os paradigmas no modo de exercer as atividades sindicais no país.

Entre os diversos jornais nos quais atuou, como Binômio, O Diário e Correio de Minas, destacam-se os 40 anos em que trabalhou no jornal Estado de Minas, onde foi editor de várias áreas, como Nacional, Internacional e Opinião.

A Casa do Jornalista de Minas Gerais divulgou nota em memória de
Dídimo. Leia um trecho dela:

Um homem incomum. No seu exemplo como ser humano e como jornalista, na dignidade e absoluta correção ética com que exerceu a profissão, na dedicação às melhores causas que dizem respeito à plena liberdade da informação, na defesa da categoria profissional, na abnegada luta pelo livre exercício profissional e dos colegas, de quem sempre esteve ao lado, face a quaisquer injustiças, perseguições, limitações e cerceamento de opiniões. Por isso, Dídimo é unanimemente respeitado e admirado pela totalidade dos jornalistas mineiros e por todos os que com ele conviveram em 55 anos de militância na profissão, da qual nunca se desviou. 

O portal Interesse de Minas registra aqui essa homenagem a um dos profissionais que, como poucos, tanto defendeu, ao longo da carreira, os interesses de Minas.

DEPOIMENTO

Jornalismo de pai para filho

Pessoalmente, tive a honra de muito aprender com Dídimo Paiva, na convivência profissional e também ainda como estudante de jornalismo, quando participei de alguns projetos do Sindicato dos Jornalistas voltados para o registro da memória de grandes profissionais.

Como professor de jornalismo, tive a oportunidade de compartilhar com meus alunos um pouco dos seus ensinamentos. E, com certeza, algumas de suas lições “seguiram o caminho de casa”, especialmente nas aulas que pude dar para um dos seus filhos, o também jornalista Esdras Paiva.

O ex-ministro Patruz Ananias discursa ao lado do corpo de Dídimo Paiva

MEMÓRIA

Vida de Dídimo em vídeo

Clique aqui e Assista ao vídeo sobre a vida de Dídimo Paiva, produzido pela TV Assembleia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Article Categories:
HomenagemÚltimas